8.1.13

 

O que fazer?

Colocar, colocarmo-nos, esta pergunta pode já ser um bom sinal, pois pressupõe intenções de ação numa determinada circunstância. A questão terá como razão de ser e ponto de partida que quem a faz se põe, a si na circunstância, em causa, como potencial ator e não como uma mera consequência.

A pergunta é tão mais importante e atual quanto nós, que vivemos em Portugal, estamos a ver tudo à nossa volta em risco de se desmoronar, perdendo-se a esperança, as referências, os horizontes que teríamos como seguros e estáveis.

Consciente ou inconscientemente, o ambiente que nos rodeia – a começar e a acabar na generalidade dos órgãos de comunicação social – pode levar-nos a desistir, subjugados com mais ou menos queixas, descoroçoados com mais ou menos revolta, remetendo-nos para um ‘estatuto’ de consequência (quase que como), mero fruto das circunstâncias.

Não é uma questão de pretendermos ser heróis quixotescos, nem tartarugas encolhidas dentro da carapaça perante as intempéries.

Antes, será um posicionamento perante as circunstâncias em que nos vemos como causa, perguntando: perante isto, o que me cabe a mim fazer?

Quanto mais nos responsabilizarmos a nós próprios (não, não estou vagamente a falar de sentimentos de culpa, não é isso) como entidades capazes de fazer (o quê, como, quando), mais facilmente nos libertaremos, individual e colectivamente, da etiqueta e da condição de coitadinhos, dependentes da proteção e da orientação de um qualquer chapéu-de-chuva, perante o qual de outra maneira não deixaremos de ser reverentes e obrigados.

 

Jorge Saraiva (articulista convidado)


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 10:00  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

>Alexandra Vaz

>Ana Martins

>Cidália Carvalho

>Ermelinda Macedo

>Fernando Couto

>Jorge Saraiva

>José Azevedo

>Leticia Silva

>Maria João Enes

>Rui Duarte

>Sandra Pinto

>Sandra Sousa

>Sara Almeida

>Sara Silva

>Sónia Abrantes

>Teresa Teixeira

Janeiro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
17
19

20
21
23
24
26

27
28
30
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: