15.10.13

 

Era uma vez uma mente sem sexo que vivia num corpo sensual. Sua sensualidade transcendia o mero prazer lascivo dos corpos que se esbarram. Insinuava-se quente, atrevida, repleta de desejo, buscando a fusão sublime por duas almas que se querem. E muito!

Ah! Mas como lhe escapava a sua essência… agora nebulosa pelo arfar do orgasmo.

Ora doce, ora ambígua…

A pessoa da mente sexuada queria mais… agora insatisfeita… pela ausência do prazer.

Sofre o preconceito por viver e expressar tão intensamente suas emoções, sua sexualidade latejante… empolgante… viciante… despertando ainda mais, qual rebelde, o poderoso ensejo da transgressão. Mas sem nunca experimentar a inebriante sensação de ser uma mente livre.

Ah! Mas como é bom!

Seu desejo, suas preferências, seus excessos condensaram o fulgor da sua “injulgável” manifestação.

Não! Não lhe queiram tolher a liberdade de poder expressar- se loucamente, não lhe imponham culpas, vergonhas, nem grilhões morais.

Ah! Mas como é bom!

Mas sem nunca se permitir ser uma mente livre, apesar de esta mitigar-lhe gritantemente.

Morreu…

A pessoa da mente assexuada que se julgava sexual apaga a luz da consciência terrena, serra as portas quentes numa madrugada agora fresca. Sem culpas, sem vergonhas, nem grilhões morais.

Relampejava “quero-te”, “quero-vos”, “vem”.

A pessoa da mente assexuada não tinha mais corpo, não tinha mais sexo!

 

Marta Silva


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:00  Comentar

Maputo | Moçambique

 pessoa(s) ligada(s)

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Articulistas

> Alexandra Vaz (PT)

> Ana Martins (PT)

> Cidália Carvalho (PT)

> Ermelinda Macedo (PT)

> Fernando Couto (PT)

> Fernando Lima (PT)

> Jorge Saraiva (PT)

> José Azevedo (PT)

> Leticia Silva (PT)

> Rui Duarte (PT)

> Sandra Pinto (PT)

> Sandra Sousa (PT)

> Sara Almeida (PT)

> Sónia Abrantes (PT)

> Tayhta Visinho (PT)

> Teresa Teixeira (PT)

Outubro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
17
19

20
21
23
24
26

28
30
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Parabéns Ana Martins, uma abordagem bastante suges...
Obrigado Denise, embora sinta que tenha sido basta...
Muito bom !Explicou exactamente o que eu penso!!!
Concordo plenamente caro Dr. Sendi, o facto é que ...
Gostei muito do artigo .Estou plenamente de acordo...
Há uma força interior que nos orienta nas decisões...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: