1.11.13

 

Ouvem-se as pancadinhas de Molière, as pesadas cortinas de veludo vermelho sobem, as luzes quentes e brilhantes iluminam o palco de madeira e é então que entra a primeira personagem:

 

É inegável o seu poder de atração, de sedução, de encantamento... a plateia fascinada fixa cada movimento, cada gesto, sugando cada pormenor suspira deslumbrada. Os seus gestos despertam e impulsionam o desejo em cada um de querer mais… de tocar, de mexer, de penetrar...

- Sensualidade! - diz com uma voz embriagante, viciante.

E com a atenção totalmente recaída sobre si, abandona o palco acompanhada por um suspiro de luxuria coletivo.

 

Com passos firmes e confiantes, outra personagem entra em cena, e berra em plenos pulmões:

- Sexualidade!

Descreve com traços rasgados as suas preferências, confidencia as suas predisposições, sem pudor revela a sua identidade sexual. Todo o seu corpo emana uma energia poderosa que se reflete em todos os seus poros, traduzindo uma expressão, uma vontade, uma necessidade física não deixando qualquer dúvida, o desejo de contacto é total!

 

Vazio mas por pouco tempo, no palco aparece uma personagem desnudada, de olhos libidinosos e boca lasciva. De uma forma explicitamente carnal entende-se de imediato que procura copular com a finalidade de atingir a satisfação, o orgasmo.

- Sim! Relações Sexuais!

O Público manifesta a sua total incompreensão, a falta de entendimento da necessidade de recorrer a varias personagens, que representam e significam a mesma coisa. Mas será que significam? Aos olhos dos leigos até poderá ser, a nível científico provavelmente haverá distinções. As semelhanças e proximidade não significam que sejam a mesma coisa.

 

Quando no final se reúnem, no palco, todas juntas para os agradecimentos finais, aí sim… as diferenças são notórias!!!

 

Susana Cabral


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 10:00  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

>Alexandra Vaz

>Ana Martins

>Cidália Carvalho

>Ermelinda Macedo

>Fernando Couto

>Jorge Saraiva

>José Azevedo

>Leticia Silva

>Maria João Enes

>Rui Duarte

>Sandra Pinto

>Sandra Sousa

>Sara Almeida

>Sara Silva

>Sónia Abrantes

>Teresa Teixeira

Novembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
14
16

17
18
20
21
23

24
25
27
28
30


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: