26.5.09


 


Como ser social que é, o Homem possui a necessidade de comunicar, de colocar informação fora de si e de receber informação vinda do seu exterior. Essa troca é fundamental para o seu equilíbrio, para a sua saúde mental, para o seu crescimento e para a definição da sua individualidade.

 

Todos necessitamos de colocar fora de nós mesmos, noutra pessoa, aquilo que pensamos, aquilo que sentimos; necessitamos de comparar os pensamentos e sentimentos dos outros com os nossos e essa troca de informação é o estímulo para novos pensamentos e para a (re)experimentação de sentimentos. Os outros podem estar junto a nós, ou muito longe.

São diversas as formas como comunicamos com os outros, são vários os canais que, hoje em dia, utilizamos para esse fim. Podemos mexer o nosso corpo, tocar no outro, enviar palavras, mostrar imagens, etc.. Podemos comunicar através do ar, de objectos por nós criados, de máquinas criadas para transformar o longe em perto (e que por vezes transformam o perto em longe).

 

A evolução do Homem levou ao desenvolvimento da comunicação e esta, à evolução da Humanidade. O último século e meio tem sido extraordinário na mudança dos meios e das formas de comunicação. Em particular no último meio século, o Homem assistiu a muitas e grandes alterações, a uma velocidade crescente.

 

Mas se evitarmos o deslumbramento da evolução dos meios e conseguirmos olhar apenas para os conteúdos, para os conteúdos essenciais, verificaremos, certamente surpreendidos, que desde que há registos, na antiguidade como hoje, o Homem mantém dentro de si as mesmas necessidades, as mesmas preocupações, experimenta os mesmos sentimentos, as mesmas emoções, sofre pelas mesmas razões.

 

Bem pode Mercúrio vender as asas, as sandálias e a bolsa; bem pode comprar uma antena nova para o capacete, uns patins em linha, um laptop topo de gama – mas a essência das mensagens será sempre a mesma: cada um de nós, carregado de sentimentos, emoções e dramas, em confronto com os outros.

 

FCC

 
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 23:18  Comentar

De pink poison a 29 de Maio de 2009 às 13:04
Sou licenciada em Sociologia e não podia concordar mais. Há sempre algo a por cá para fora, ainda que bem disfarçado...
Passar estas mensagens é importante, os meus parabens!

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
16

17
18
20
21
22

25
27
28
30

31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: