2.6.09


 

De uma forma anormal e sem que o despertador tivesse sequer a possibilidade de dar os bons dias, vejo a minha filha a levantar-se rapidamente e vestir a roupa que cuidadosamente escolheu na noite anterior. Pena que esta, e para a sua infelicidade, já não lhe sirva há muitos verões. Hoje é o seu dia, o Dia Mundial da Criança, e tinha de estar a preceito. Foi com alguma dificuldade que a vi a reescolher e remexer as gavetas à procura daquele conjunto, ou daquele vestido que estivesse à altura do dia.

No caminho para a escola, o rádio anuncia, pela milésima vez, que hoje é o grande e esperado dia. Solta semelhante grito que quase me faz bater no carro da frente, simplesmente para anunciar, também pela milésima vez: “Vês mamã, hoje é o Dia Mundial da Criança… e sabes o que isso significa?!!!” Referia-se obviamente à prenda que terei de lhe dar por ela ser criança. Uma boneca para ela e um carrinho para ele!!! E pronto, ficará assim celebrado o dia.

Mas será que fica mesmo? Pelo menos, para as minhas crianças fica; são sem dúvida, no meu ponto de vista, umas felizardas na sociedade e no mundo actual.

 

O Dia Mundial da Criança… parece irónico ter de haver um dia em que o Mundo inteiro celebra e se recorda das crianças, dos seus direitos… os direitos que nunca, mas nunca, deveriam ter de ser relembrados.

Festejamos um dia em que enchemos as crianças de atenções, de guloseimas e por um dia (talvez) deixamos a nossas crianças ser aquilo que elas de facto são: crianças travessas e barulhentas. Por um dia não lhes é incutido o ritmo desenfreado que cada vez mais lhes exigimos: o de ter de ir para a escola, para as aulas de inglês, ter de complementar a informática, frequentar a natação dia sim, dia não... e esquecer, por mais um dia, a brincadeira.

Queremos que as nossas crianças sejam as melhores e as mais bem preparadas para enfrentarem as adversidades da vida. E o nosso querer sobrepõe-se às suas inocentes vontades. Fechamos as nossas crianças em redomas “esterilizadas”, em teorias psicológicas e supervisionamos tudo com muito cuidado. Pena que acabemos por esquecer o fundamental: deixar as crianças serem crianças, sujarem-se, caírem, enfurecerem-nos por deixar a casa cheia de bolinhas reprodutoras, por gostarem e quererem berrar por tudo e por nada.

Se queremos celebrar o Dia Mundial da Criança, devemo-lo fazer diariamente, tendo sempre em atenção o que é uma criança e nunca esquecer do que elas realmente precisam.

 

Susana Cabral

 
Temas:
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 23:53  Comentar

De Ana Lua a 3 de Junho de 2009 às 13:21
Desejo a todas as crianças do mundo que tenham essa oportunidade! - SER FELIZ -

Desejo que todos os adultos se lembrem que as crianças de hoje, serão os adultos de amanhã, e como tal, merecem ser crianças e amadas o máximo de tempo possível!

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Junho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
17
18
20

21
22
24
25
27

28
29


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: