27.10.08



 

Existem situações que, de tão bizarras, transformam a envolvente dramática do suicídio em episódios, no minimo, engraçados.

Atente-se que eu falo de "situações" e não de "pessoas".

Não conseguiria  nunca focar-me numa pessoa e brincar com um tema tão delicado como o suicídio, mas atentando nas situações não resisto a trazer para este espaço, dois casos.

 

Uma mulher, cansada da indiferença do marido, resolve chamar a sua atenção atirando-se da janela do quarto. Para que a chamada de atenção fosse ainda mais traumatizante, para o marido, resolve fazê-lo justamente quando ele fosse a passar. E assim,  num dos regressos a casa, ele leva com a mulher em cima. Teria acabado muito mal se a janela não fosse apenas da altura de um rés-do-chão elevado.

Nestas circunstâncias a mulher acabou em tribunal acusada, pelo marido, de tentativa de homicidio.

 

O outro caso, passou-se nos EUA neste período de crise financeira. É portanto, muito recente.

Os técnicos de recuperação de crédito de um banco foram executar a hipoteca de uma casa de uma senhora idosa, que vivia sózinha por não ter familia.

Com o desespero e ainda na presença dos bancários, a senhora esfaqueou-se e queria morrer. Os técnicos impediram-na de completar o acto e, sensiveis ao drama, resolveram perdoar a dívida.

A ironia da história é que a senhora, agora com casa, vai ter que viver num lar porque a assistente social fez um relatório onde informa que ela não tem condições para viver sózinha.


 


Cidália Carvalho


 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 03:01  Comentar

De Credito pessoal a 26 de Julho de 2010 às 22:57
Que história mais bizarra|

De Lua a 4 de Novembro de 2008 às 16:36
Realmente no desespero, é difícil ter-se discernimento e claridade nas ideias...

Maputo | Moçambique

 pessoa(s) ligada(s)

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Articulistas

> Alexandra Vaz (PT)

> Ana Martins (PT)

> Cidália Carvalho (PT)

> Ermelinda Macedo (PT)

> Fernando Couto (PT)

> Fernando Lima (PT)

> Jorge Saraiva (PT)

> José Azevedo (PT)

> Leticia Silva (PT)

> Rui Duarte (PT)

> Sandra Pinto (PT)

> Sandra Sousa (PT)

> Sara Almeida (PT)

> Sara Silva (PT)

> Sónia Abrantes (PT)

> Tayhta Visinho (PT)

> Teresa Teixeira (PT)

Outubro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
16
17
18

19
20
21
22
23
25

28
30
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Parabéns Ana Martins, uma abordagem bastante suges...
Obrigado Denise, embora sinta que tenha sido basta...
Muito bom !Explicou exactamente o que eu penso!!!
Concordo plenamente caro Dr. Sendi, o facto é que ...
Gostei muito do artigo .Estou plenamente de acordo...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: