19.3.10


 


“Os jovens conhecem cada vez mais o mundo em que estão, mas não sabem quase nada sobre o mundo que são.” (Augusto Cury)

 

A Educação é um dos pilares fundamentais da Sociedade. Esta deveria ser tratada e cuidada com a máxima atenção, ponderação e consciência. É com base na educação oferecida hoje que o amanhã poderá ser proveitoso ou, simplesmente, desperdiçado.

Desde o nascimento que o ser humano começa a ser educado, primeiro pelos pais e familiares, depois pela escola e outros círculos sociais onde a criança se encontra inserida. É sobre esta educação escolar que discorrerei os meus pensamentos.

 

De uma educação mais informal onde as únicas aprendizagens que tínhamos seriam as ensinadas e contadas pelos nossos familiares, e das nossas experiências, para uma educação formal, escolar e em sociedade, onde o papel do professor é fundamental para a aquisição das informações, como do saber ser e pensar.

A educação escolar em constantes mudanças… Dizem que agora se encontra em crise… Resta saber se desta crise nascerá uma nova mudança para melhor. Tenho esperança.

No meu tempo, o professor era o substituto dos pais na nossa educação. O respeito por esta classe era-nos incutido desde pequeninos. E se as reguadas ou outros castigos similares existiam, era porque nós os merecíamos. Não passaria pela cabeças dos pais discutirem ou desautorizarem aqueles que nos ensinavam, pois para além de nos passarem toda a informação necessária para o nosso crescimento, também nos ajudavam a saber ser e estar em turma, em sociedade.

 

O que se observa hoje em dia é o crescente desrespeito pela classe dos professores, assim como à culpabilização destes por falhas observadas no desenvolvimento das crianças. Mas não será culpa dos pais, que não lhes dão a autoridade necessária para educar e que, ainda por cima, pouco tempo têm para o fazerem com a profundidade necessária? Não sei… Acho que culpabilizar os pais ou os professores por tudo aquilo que está errado, não levará a lado algum. O importante seria unir forças para que realmente as nossas crianças tivessem um acesso à verdadeira educação do saber ser, saber pensar… antes do simples saber.

 

Ana Lua


 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 02:05  Comentar

De Cidália Carvalho a 29 de Março de 2010 às 22:19
Fulano,

Vai gostar de ver o "Retrato do Professor" de Jô Soares.
Veja no http://zildacardoso.blogs.sapo.pt/

Obrigada pelo seu comentário

De Fulano a 27 de Março de 2010 às 06:12
Não há muito saíu na imprensa a classificação do nível de EFICIÊNCIA das universidades europeias. Das portuguesas, já não lembro exactamente qual era mas estava lá por baixo junto da Bulgária e outros que não lembro. Salvo erro era a 3ª ou 4ª posição a contar do fim. Pois anda-me a fazer espécie NUNCA ter visto essa notícia comentada na blogoesfera, sempre tão lesta a apontar as (evidentes) poucas competências das classes populares portuguesas.

De José Quelhas Lima a 22 de Março de 2010 às 02:15
A crise de autoridade dos professores,por mais evidente e grave que seja (e é,na realidade),não pode nunca justificar o regresso ás "...reguadas e castigos similares...".Fala quem sabe...
Se seguíssemos a mesma linha de raciocínio,por exemplo em relação à justiça,facilmente nos veríamos a acender fogueiras e restaurar pelourinhos.

De Cidália Carvalho a 21 de Março de 2010 às 23:23
Importante reflexão esta sobre um tema que está tão em crise, a educação.
Penso que o papel de educadores não deve estar reduzido apenas ao espaço da escola e aos professores, pelo contrário, os pais terão que ser os primeiros educadores, mas o que se verifica é que eles cada vez mais "descartam" esse papel.
Mas se algum professor resolve educar, eis que logo os pais e restante familia aparecem na escola prontos a mostrar que estão muito preocupados e atentos à educação do filho. Muitas vezes fazem-no recorrendo à violência que é o pior exemplo de educação que podem dar. Não é bonito.
Os professores por outro lado, tÊm vindo a perder autoridade, a autoridade que o aluno (e família) precisam de sentir para respeitarem.

De Joel a 19 de Março de 2010 às 18:13
Olá, Lua. É um prazer ler-te.É claramente por via da educação que se constrõem ou destrõem sociedades e culturas. É claramente aí que todo um país deve investir. Não consigo entender qual é a estratégia, o grande plano, o segredo que está por detrás das reformas que temos vindo a assitir no ensino. Vejo diariamente situações absurdas que resultam dessas malditas reformas. Há muito a fazer porque já muito se estragou. Mesmo que se implementem agora contra-reformas que anulem as vigentes, temo já estarem desperdiçadas três ou quatro gerações que pouco mais saberão fazer do que vegetar por aí. Que é feito da escola que ensinava a pensar? Que é feito do ensino que formava pessoas aguerridas, lutadoras, com ideais? Gostei muito do teu tema, da tua escrita e do teu entusiasmo.

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Março 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
17
18
20

21
22
24
25
27

28
29
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: