12.10.10

 

Amor. Flama? Dor? Prazer? Ansiedade? Felicidade? Talvez seja o mais complicado dos sentimentos e o mais simples, provavelmente.
 
Histórias de amor há muitas, com tantas maneiras de ser amor.
Há a história da mãe que olhou o filho e desde ali houve amor. O pai que sem a mãe ficou e passou a ser ambos, carregando a dor do amor perdido, mas reforçando o amor pelos pequenos presentes que ela lhe deixou, os filhos.
Há a mulher que foi mãe sem dar à luz, que enfrentou o desconhecido e tomou como seu o legado de um outro alguém, honrando-o com todo o amor dentro de si.
Há a avó que é força, é cuidadora, é família, acreditou num amor, mas esse amor transformou-se num castigo, numa pena pesada. Embora fustigada, permitiu-se amar os demais e aguentar o falso amor da sua vida, com a força que só uma pessoa cheia de amor consegue. Há o amor que às vezes se transforma em ódio. Mas, há também o amor que é eterno. Que nasce de uma brincadeira num castelo, de tempos mais austeros, que só de olhar era um bate-bate coração. Esse amor que luta contra barreiras, nas épocas em que pormenores de hoje, eram verdadeiras barreiras. E desse olhar constrói-se toda uma vida que não se finda até com a morte. É um amor bonito, esse. Com todas as suas desventuras, sim, mas com toda a eternidade que uma história de encantar nos faz sonhar. E viveram felizes para sempre. Apenas não o foi, porque a vida em si, não é eterna. Mas, definitivamente ali ainda há amor.
E depois, há sempre o amor que surge à primeira vista, ou aquele que surge de uma amizade, que se esbarra num sentimento inesperado. Há também situações inesperadas, que destroçam um amor, sobretudo a crença no amor. E por vezes, esse é o fim, até um outro amor. Outras, é uma provação de amor. E, por vezes, há o perdão, que é outra forma de amar. E desse perdão, não vêm rosas. Por vezes, vêm sacrifícios, confrontações, e também renascimentos. E com eles, um novo modo de estar no amor. Difícil? Sim. Vale a pena? Também.
 
Quem disse que o amor era fácil, cor-de-rosa, alegre e feliz todos os dias? Talvez um apaixonado. Mas, amor não é só paixão. Amor é uma jornada. As histórias de amor fazem-se também de outras que vamos conhecendo. Estas são as que eu conheci.
 
Cecília Pinto
 
Temas:
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 01:05  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Outubro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
14
16

17
18
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: