15.10.10

 

 

Quantas vezes dei por mim a pensar, como é possível. Será que ela tem alguma coisa em especial? Mas ela é tão pequenina, tão pequenina, tão frágil.

É possível, ela tem um jeito próprio de quem é mãe, não interessa se é primeira vez se é segunda. É certo que ela tem um dom. O dom do amor. Não tem explicação. Não tem origem. Não é algo que se vai buscar a um qualquer lado… Se calhar tem explicação, se calhar tem origem e se calhar vem de algum lado; mas o que é que isso interessa? O Amor é o mais importante. Agora que penso um pouco mais, interessa, se calhar, reter que para amar basta concerteza ter sido amado(a), ter sido feliz. Mas a questão é de onde vem esse amor. O amor vem do amor, o amor vem de mais amor, o amor multiplica e soma mais amor, o amor é algo que não sei bem, sabe-se mas ao mesmo tempo…
 
É o amor que nos conforta, nos segura, nos trata, nos cura, nos quer, nos faz sentir bem quando estamos mal, é o amor que nos faz sentir vivos. É o amor.
Quando nos ralha, quando nos portamos mal. É o amor que nos faz andar para a frente, ou para trás quando é caso disso.
O amor pode ser belo… É belo. O amor deve ser belo. O amor deveria ser belo…
Quando sentimos aquele aperto no coração, aquele palpitar mais intenso, aquela dorzinha de barriga, como se de um nó se tratasse. O amor resolve…
Mas quando tudo parece não ter solução, quando tudo parece perdido, quando a solução não está à vista, quando não há solução, então aí, então aí chamamos de mansinho e muito baixinho – mãe … mãe – e tudo parece agora diferente, mais fácil, mais leve, mais alcançável, mais verdadeiro, mais tudo. E esse tudo que é quase tudo, é o amor de mãe.
 
Coisas a fazer:
Acrescentar uma errata ao dicionário: onde se lê mãe deve-se ler Amor e onde se lê Amor deve ser lido Mãe.
 
Obrigado mãe. Obrigado pela transferência desse teu AMOR infinito.
 
Diogo Ricou
 
Temas: ,
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 01:05  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Estefânia Sousa Martins

Fernando Couto

Fernando Lima

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Outubro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
14
16

17
18
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: