21.12.10

 

 

Era mais um dia…

Um dia normal de trabalho no Serviço de Urgência…

Doentes e mais doentes (Uns mais doentes que outros!), muitos velhos e alguns novos, em macas e em cadeira-de-rodas… tantos que a certa altura já se torna impossível chamá-los a todos pelo nome!

Era Inverno… (São as gripes e as Pneumonias, é assim nesta altura!)

Era mais um dia…

Era mais um doente…

Tinham ligado a avisar: Ia chegar um doente à Sala de Emergência: uma tentativa de suicídio por enforcamento, um homem novo, disseram, vinha com os bombeiros.

Estávamos à espera.

E a sala tocou… Deixámos tudo o que estávamos a fazer e corremos à Sala de Emergência… (O que iria encontrar? De onde vinha? O que o levaria a fazer isto?)

Entrei.

Lá estava ele, um corpo inerte, frio, gelado como o ar que vinha lá de fora… (Não há nada a fazer!... Faleceu.)

Não trazia identificação. Fora encontrado em casa pelo rapaz do café que todos os dias lhe ia levar o tabaco. Devia ter entre os 35 e os 40 anos, mas a roupa suja e a barba por fazer faziam-no parecer mais velho. Era alto e bem constituído, apesar do aspecto emagrecido. Tinha o corpo tatuado e num dos braços a frase – Haverá sempre um amanhã! Percebi que tinha um tumor da laringe localmente avançado, que o impedia de se alimentar a não ser por uma sonda, que o impedia de falar e de respirar sem ajuda de uma traqueotomia. Estava preso quando a doença lhe foi diagnosticada, foi operado, mas a doença progrediu rapidamente. Recusou quimio e radioterapia. Pediu para morrer em casa, na velha casa onde tinha passado a infância com a mãe, antes de esta o deixar sozinho no mundo (provavelmente a única altura da vida em que tinha sido feliz e tinha feito alguém feliz!).

 

Joana Gonçalves

 

Temas:
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 02:05  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Estefânia Sousa Martins

Fernando Couto

Fernando Lima

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Dezembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
15
16
18

19
20
22
23
25

26
27
29
30


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: