11.3.11

 

Confesso que tenho muita dificuldade em escrever sobre este tema. Devo ter escrito e apagado o início deste texto, na minha cabeça, seguramente mais de 10 vezes. Porquê? O que realmente queria era partilhar convosco quem são os meus amigos. Como se chamam, de onde são, o que fazem, e por aí fora. Depois pensei que tal não teria grande interesse e que soaria a uma tentativa de vos impingir os mesmos (o que, convenhamos, acontece frequentemente nas nossas vidas). Mudei então de rumo, verdadeiramente sem saber, contudo, qual seria. Talvez relatar histórias engraçadas que partilhei com eles? Enfim, quantos desses textos já existem? Este seria mais um. Encontramo-nos portanto aqui, juntos neste ponto de partida...

 

Afinal quem são os meus amigos? No facebook passam a centena mas reconheço, evidentemente, que a grande percentagem deles não cabe na classificação anterior. Terão sido os de infância que perdurarão para sempre na minha memória, naqueles que são considerados os anos mais doces? Sinceramente também acho que não. E os que foram os melhores amigos, anteriormente? Vocês sabem... aqueles com quem fizemos juras de eterna amizade e que depois desapareceram. Onde param esses?

Acho que terei de admitir que os meus amigos são os actuais, mesmo correndo o risco de um dia, eles próprios, se esfumarem em memórias solidificadas, em fotografias que perduraram mais que a própria memória. São estes amigos, os actuais, que me amparam quando estou prestes a cair, que me fazem rir, que se dão e aos quais me dou. Há muito que deixei de ter amigos de ocasião. Os amigos para a borga, os amigos do estudo, os amigos do emprego, os amigos do futebol. Com estes amigos, os actuais, posso partilhar de tudo. E sabem o que aprendi? Não me chega compartimentar uma amizade para algo específico. Os meus amigos são multitask. São amigos que me levam ao médico porque se preocupam e são esses mesmos amigos que me levam para os copos numa sexta à noite. Não serão melhores ou piores que os vossos. Estão presentes e estão ausentes. Dão quando podem e pedem quando precisam.

Tenho sorte em tê-los.

P.S. Sorte, sorte? Já vos tinha dito que a minha namorada é a minha melhor amiga? E também é multitask mas tal conversa ficará para outra ocasião...

 

Rui Duarte

 

Temas:
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 02:05  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Março 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
17
19

20
21
24
26

27
28
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: