24.1.12

 

Este ano já me decidi. Basta! Para este ano decidi… viver! Onde anda a minha lista? Aquela que fui colecionando ao longo dos anos? Devo tê-la perdido vezes sem conta! E porquê? Porque nunca tinha sequer tempo para reparar que ela existia. Cheia de desejos íntimos, sonhos, aventuras e propósitos nobres! Porém embrulhei-me num novelo de obrigações banais, a que tanto gostam de chamar vida, e quando dei por ela tinha já todo o tempo do mundo!

E agora que tenho todo o tempo do mundo, vou passar esse tempo à procura? Não me parece! Agora que tenho todo o tempo do mundo e toda a incerteza do tempo que me resta, quero fazer vida com o tempo que ainda tenho, ou que tão humanamente me iludo que tenho! Mas será que agora ainda posso viver essa longa lista que fui colecionando pelo tempo fora? Não serei já demasiado velho para essas aventuras? Para esses saudáveis devaneios? Ai, o que estou para aqui a pensar?! Então, já não me decidi a Viver?! Não já decidi soltar as amarras de toda uma vida de obrigações, contribuições, sacrifícios pedidos por este e por aquele, exigido por outros tantos que insistiam em governar a minha vida, e que me fizeram acreditar que assim deveria ser?

Vamos! Agora que tenho todo o tempo do mundo, vou saborear cada amanhecer, vou apreciar cada raio solar quente na minha testa, vou deixar o primeiro pingo da chuva cair no meu nariz e vou sorrir em vez de franzir o sobrolho! Vou olhar ao espelho e admirar cada ruga, recordar cada memória e criar memórias nos que ficarão para além de mim, e que recordarão ainda esta minha cara engelhada. Vou cheirar cada alimento, e demorar-me encantado de lhe tomar cada gosto! Vou ficar a ouvir quem tem que falar e vou opinar sem medo e com toda a razão! Vou escutar a melodia do mar, lentamente, enquanto o mundo à minha volta se agita freneticamente, mas ao meu olhar, vagarosamente. Vou rir desalmadamente e amar com um abraço toda a minha gente! Vou rabiscar os meus sentimentos e oferecer gentilmente os meus pensamentos! Não vou apressar o passo… vou viver a cada momento, porque afinal agora tenho tempo!

Este ano decido então viver a minha longa lista. Na base desta lista está o desejo mais profundo - ser feliz. Quero ser feliz em cada coisa que faço. Quero terminar a começar de novo, ter pelo menos essa oportunidade numa vida inteira! Há quem diga que há uma primeira vez para tudo… porque não viver tudo pela primeira vez?

 

Cecília Pinto

 

Temas:
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 02:05  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

>Alexandra Vaz

>Ana Martins

>Cidália Carvalho

>Ermelinda Macedo

>Fernando Couto

>Jorge Saraiva

>José Azevedo

>Leticia Silva

>Maria João Enes

>Rui Duarte

>Sandra Pinto

>Sandra Sousa

>Sara Almeida

>Sara Silva

>Sónia Abrantes

>Teresa Teixeira

Janeiro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
14

15
16
18
19
21

22
23
25
26
28

29
30


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: