12.12.14

TecladoDePiano.jpg

 

Nem sei de que falamos com isto de “Um vs o Mundo”. Quem é o “um”? O que é “o Mundo”? Trata-se de uma batalha, de um confronto, de um combate de boxe, de uma sintonia a rodar sobre si própria sem fim nem princípio? Uma entidade em frente a outras? Como e onde funciona esta engrenagem?

Por vezes sinto que sou eu aqui, deste lado do muro, e os outros lá fora, no tal Mundo.

Outras vezes é só alguém perdido por aí a tentar encontrar uma luz ou um sentido.

Noutras alturas, sinto-me onde o Mundo está, esse Mundo de pessoas, mas também de animais, coisas, flores, luz e sombra, natureza. Sou parte desse mecanismo e encontro nele harmonia e alguma paz.

E depois há aqueles momentos em que eu sou o Mundo, ou pelo menos o mundo que conta e que é o meu mundo, uno e indivísivel. Alturas em que duvido sequer se alguma coisa existe para lá do meu cérebro e das batidas do meu coração… se algo existe que não seja só o fio dos meus pensamentos e do sangue a correr dentro de mim. E penso se isso sequer existe, se não sou só um barulho sem rumo nem destino, à deriva na espuma do tempo.

Mas depois aparece alguém que amo, ouço uma voz, sinto–me aos pulinhos dentro de mim, e o Mundo é, em essência, o Mundo dos meus muitos afetos.

Continuo sem saber se existe o tempo, se existe o espaço, se faz sentido falar num Mundo.

Aquilo de que não duvido é, muito simplesmente, de que estou aqui, neste preciso instante que não quero que acabe nunca, e sou, nem que seja só dentro de mim, ou se calhar em múltiplos e infindos universos paralelos e palpáveis. Se calhar, isto não acaba nem começa mesmo. Seja como e onde for, ou não for, aquilo que sou é a soma dos meus pensentimentos e esta certeza de que enquanto houver amores, estou viva. E pronto, os Nocturnos de Chopin também ajudam.

 

Dora Cabral

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 10:00  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Dezembro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
16
18
20

21
23
25
27

28
30
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: