30.3.14

 

Como é o teu dia? Um glamoroso, ou um normal? Talvez um igual ao comum dos mortais, como o meu. E quando chegas ao fim do dia, como te sentes? Cansado e com sono... Infeliz e frustrado? Quando me sinto com sorte e quando me corre bem o dia, consigo ter uns doze minutos para mim, com quietude e com a possibilidade de respirar fundo! O resto do tempo é ocupado com solicitações e mais solicitações. O despertador, a hora do início das aulas, o picar do ponto às nove horas na empresa, isto e aquilo.

O sentimento de deriva aparece mais frequentemente do que o que seria desejável. Vemo-lo nos olhos do outro que às vezes, muitas vezes, espelha o nosso. Poderia ser diferente? Termos as ideias claramente definidas quanto ao que consideramos realmente importante, sobre os nossos valores e sobre o propósito da nossa vida e termos isso presente, assegura escolhas e comportamentos consistentes com o que realmente valorizamos e confere uma sensação de preenchimento ao nosso dia a dia.

Todos nós temos algum tipo de ideia do que valorizamos, de quais são os nossos valores. Mas concretamente, será que dedicámos o tempo suficiente a pensar neles? Hierarquizámo-los? O que colocámos em primeiro lugar? A liberdade, a auto-realização, a auto-satisfação, a família, o casamento, a segurança financeira? E em segundo lugar?

Os valores pessoais resultam de um conjunto de influências internas e externas, da cultura, da família, dos amigos, dos meios de comunicação. Todos estes e outros fatores conjugados e alterados geram valores individuais. A pressão social continua a ser forte e exerce uma grande influência nos comportamentos. Estaremos a ser coerentes e genuínos em relação aos nossos valores?

 

Ana Teixeira

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:00  Comentar

Maputo | Moçambique

 pessoa(s) ligada(s)

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Articulistas

> Alexandra Vaz (PT)

> Ana Martins (PT)

> Cidália Carvalho (PT)

> Ermelinda Macedo (PT)

> Fernando Couto (PT)

> Fernando Lima (PT)

> Jorge Saraiva (PT)

> José Azevedo (PT)

> Leticia Silva (PT)

> Rui Duarte (PT)

> Sandra Pinto (PT)

> Sandra Sousa (PT)

> Sara Almeida (PT)

> Sónia Abrantes (PT)

> Tayhta Visinho (PT)

> Teresa Teixeira (PT)

Março 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

17
19
20
22

24
26
27
29

31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Parabéns Ana Martins, uma abordagem bastante suges...
Obrigado Denise, embora sinta que tenha sido basta...
Muito bom !Explicou exactamente o que eu penso!!!
Concordo plenamente caro Dr. Sendi, o facto é que ...
Gostei muito do artigo .Estou plenamente de acordo...
Há uma força interior que nos orienta nas decisões...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: