21.12.15

MonkeyTrainingForACircus-YongzhiChu.jpg

Foto: Monkey Training for a Circus - Yongzhi Chu

 

Há poucos dias vi numa revista as fotos vencedoras do World Press Photo. Entre várias, deparei-me com uma que me perturbou à primeira vista por ser, para mim, o retrato do medo, do pavor.

A expressão na cara do macaco é perturbadora, porque vemos o medo estampado na face e porque o vemos indefeso, encurralado, atado, sem poder fugir. A sua expressão assustada parece pedir clemência, parece dizer “Por favor, não!”.

O tratador aproxima-se dele, armado com uma corda, em posição de quem o vai castigar sem piedade. O tratador que acorrenta o pescoço do macaco ao pescoço da bicicleta, que prende o corpo do macaco ao corpo da bicicleta com o objetivo de tornar os dois um corpo só, para exibir em sintonia, no circo.

Não se vê a cara do tratador. É alguém grande, maior, poderoso, que usa uma arma para infligir o medo. A cara do macaco está claramente visível. Alguém pequeno, mais pequeno, fraco, indefeso, preso e amedrontado. O tratador é desconhecido, o macaco somos todos nós. Esta expressão é universal, humana ou animal. Perante algo que nos assusta é assim que reagimos, vê-se na cara, no corpo, não há como esconder.

Por isso mesmo o medo é uma arma poderosíssima – quem sabe usá-la, usa-a sem piedade e quanto mais medo vê no outro, mais poderoso fica; quem é vítima não consegue ocultar, fica encurralado, encolhido, preso e frágil. Pelo menos enquanto não se conseguir soltar.

O macaco já está solto, pois, felizmente, criaram-se alternativas ao circo com animais. Mas será que algum dia vai soltar o medo da sua memória?

 

Patrícia Leitão

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Maputo | Moçambique

 pessoa(s) ligada(s)

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Articulistas

> Alexandra Vaz (PT)

> Ana Martins (PT)

> Cidália Carvalho (PT)

> Ermelinda Macedo (PT)

> Fernando Couto (PT)

> Fernando Lima (PT)

> Jorge Saraiva (PT)

> José Azevedo (PT)

> Leticia Silva (PT)

> Rui Duarte (PT)

> Sandra Pinto (PT)

> Sandra Sousa (PT)

> Sara Almeida (PT)

> Sara Silva (PT)

> Sónia Abrantes (PT)

> Tayhta Visinho (PT)

> Teresa Teixeira (PT)

Dezembro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
15
17
19

20
22
24
26

27
29
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Parabéns Ana Martins, uma abordagem bastante suges...
Obrigado Denise, embora sinta que tenha sido basta...
Muito bom !Explicou exactamente o que eu penso!!!
Concordo plenamente caro Dr. Sendi, o facto é que ...
Gostei muito do artigo .Estou plenamente de acordo...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: