24.12.14

HarryPotter.jpg

 

Lembro-me de que, quando apareceu o Harry Potter, não liguei nada à personagem, à história, aos livros, a nada. O fantástico e a magia nunca me atraíram e era só mais um entre muitos a causar furor e a mover legiões de fãs.

Até que um dia, não sei como nem porquê, se fez um clique e de repente passei a ver o Harry Potter de outra forma. Magia ou não, feitiço ou não, passei a olhar para aquele miúdo de outra maneira e para a história e restantes personagens de uma forma diferente.

De tal forma que fiz, com a minha irmã e um casal amigo, uma maratona de Harry Potter (um filme, às vezes dois, por fim de semana) para conseguirmos ver o último de todos no cinema. E conseguimos!

Não sei em que dia foi isso, nem em que hora, mas sei que houve um momento em que percebi que o Harry Potter era um rapaz diferente dos outros, com um destino também diferente e quase já traçado, que perdera os pais e se achava sozinho no mundo. Vivia com uma família que não gostava dele, porque ele era diferente e estranho. Ele achava-se sozinho contra o mundo. Ou o mundo sozinho contra ele!

Até que foi para a escola de magia. Aí fez dois amigos para a vida, e muitos outros, mas também despertou invejas e ressentimentos. Em cada livro, era obrigado a enfrentar o inimigo poderoso para se salvar ou salvar alguém. E saía sempre vitorioso. Em cada livro, cada vez que tinha de enfrentá-lo, Harry Potter achava-se sozinho, ele só, a lutar contra um poder maior que ele. A ter medo e a fraquejar. Mas de cada vez que isso acontecia, os amigos apareciam e ajudavam-no. Lutavam com ele, lado a lado. Arriscavam-se por ele, arriscavam-se com ele. E ele nunca estava sozinho. Nunca era só ele contra o medo e contra o mal. Era ele e todos os seus amigos.

O Harry Potter trata-se de enfrentar o medo. Não fugir. Ter medo, sim, fraquejar, também, mas arranjar coragem para o confrontar e o derrotar. O Harry Potter trata-se de ter amigos e nunca estar só, de os ter quando mais se precisa, de forma incondicional. O Harry Potter trata-se de coragem e amizade e quando eu percebi isso, aí sim, fez-se magia!

Magia é perceber que nunca estamos sós, nunca somos nós contra o mundo. Nunca é um contra tudo o resto. Há sempre alguém connosco, temos sempre alguém, mesmo que não vejamos ninguém, mesmo que achemos que não, nunca estamos sozinhos. Nunca.

Gosto do Harry Potter. Continuo a não ser fã da escrita nem da temática, mas passei a gostar desta personagem, da sua história, de todas as outras personagens e do imaginário que os livros encerram.

Passei a vê-lo de outra forma e ele ensinou-me que enfrentar o medo é algo que temos de fazer sozinhos, mas não de forma solitária. Enfrentar o medo exige a coragem de dar o passo em frente, sozinho, e a coragem de aceitar a ajuda dos outros, a ajuda dos amigos.           

 

Patrícia Leitão

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 10:00  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Estefânia Sousa Martins

Fernando Couto

Fernando Lima

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Dezembro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
16
18
20

21
23
25
27

28
30
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: