6.9.15

AndarAPéNumaPraiaLabirinto-Andrew Schmidt.jpg

Foto: Andar a pé numa praia labirinto - Andrew Schmidt

 

Estava num labirinto. Só via encruzilhadas, caminhos cruzados sem saída. Percorreu todos os caminhos e voltou sempre a um onde já estivera, voltou ao anterior, voltou ao primeiro. Andou em todos e em cada um deles mais do que uma vez, tentou andar em todos de uma só vez e depois já não tentou.

O desespero sempre do mesmo chão, a angústia sempre das mesmas paredes, o terror nunca da saída. E desistiu. Deixou-se ficar preso no labririnto e num flash chegou a libertação, o alívio, a paz e depois mais nada.

Lentamente, a rebolar pelo chão veio um novelo. Seria de lã ou de linha, não sabia bem. Nunca pensou que veria um, nunca pensou que chegasse um ali. Recebeu-o e levou-o consigo pela mão, pelo caminho. O novelo mostrou-lhe o chão e as paredes, aqueceu-lhe a mão e o corpo e o coração. Já teria passado por ali, mas talvez não naquela direção.

O novelo era de lã escura e grossa. Enquanto o enrolava apercebia-se de que era de muitas cores. Cores escuras que se misturavam numa bolinha de fios cruzados e entrelaçados. O fio começou a ficar mais esticado, começou a puxar pelas suas mãos. As cores eram mais claras agora, as mãos estavam mais claras também. As paredes eram brancas e o chão de areia fina e brilhante.

Começou a ver os fios do novelo uns por cima dos outros, as suas mãos estavam inteiras, tinham dedos e os seus pés andavam firmes e rápidos num só sentido. Sentiu os olhos a fecharem-se, uma aragem fresca na cara e quando o fio acabou estava cá fora!

Abriu os olhos e tinha o novelo nas mãos. O novelo pulsava devagar e as cores corriam pelos fios num fluxo constante. Viu uma pessoa à sua frente. Estendeu-lhe as mãos abertas e entregou-lhe o novelo.

- Obrigada! Como soubeste que estava ali?

- Não soube. Ouvi o teu grito.

- Eu não gritei.

- Mas eu ouvi!

 

Patrícia Leitão

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Almeida

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Setembro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

15
17
19

22
24
26

29


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: