18.7.16

Girl-AdinaVoicu.jpg

Foto: Girl - Adina Voicu

 

No tempo e no espaço em que nos situamos, a nossa vida percorre o seu caminho num sentido irreversível. Para uns, é mais longa; para outros, é mais curta. Para todos, porém, atingindo o seu limite que lhes é imposto pela própria “Natureza” não volta para trás. É assim a essência da vida! Já diz a sabedoria do povo que “a primavera volta sempre, mas a mocidade não volta mais”, refletindo-se neste pequeno aforismo popular o caráter irreversível da vida. O relógio do tempo - se assim podemos considerar - que marca as várias fases da nossa vida, não para até atingir o seu limite. O presente sai do passado, o futuro sairá do presente. É a razão de viver no espaço que chamamos Terra, num tempo que é sempre o mesmo, por onde passa a nossa vida. Nele, passamos e vivemos com tudo o que nos é inerente, nesse tempo que é infinito, mas limitado temporalmente para todos nós. Todas as coisas naturais da vida, consideradas como naturais, ocorrem sempre num só sentido, numa direção irreversível, sendo por isso fácil reconhecer a ordem temporal com que acontecem. As ações irreversíveis são muito comuns na “Natureza”, pelo que devemos saber compreendê-las e aceitá-las, pois só assim estaremos no caminho certo da vida. Em contraposição, as atitudes de todos nós, enquanto dependentes do nosso arbítrio ou da nossa vontade, poderão, na maioria das vezes, ser revertidas quando assim se justifique e contribua para a afirmação da dignidade humana. É com base neste princípio e quando estão em causa os valores fundamentais da sociedade, que, sendo possível, devemos saber recuar, voltar ao princípio para corrigir as nossas atitudes e as nossas ações.

 

José Azevedo

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:30  Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Julho 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
14
16

17
19
21
23

24
26
28
30

31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: