De Jose Carlos F. Pereira a 17 de Março de 2014 às 12:04
Tema difícil, volátil e por vezes intangível. Mas não deixa de ser pertinente abordar.
Caminhamos para um mundo em que cada vez mais nos colocam rótulos e certificações, sejam elas académicas e/ou profissionais. Tento sinceramente fugir disto pois a avaliação por mais rigorosa, credível e metodológica nunca é 100% justa. Mas é importante criar métricas para medir performances e/ou competências. Talvez a única forma de poderemos comparar desempenhos, ou criar requisitos mínimos para avaliação – mas leva a normalização.
E a experiência aonde fica, como se avalia? Por isso preferir sempre não falar de certificações mas sim de demonstração de resultados, experiências, passiveis de medição. Tentar dar tangibilidade ao intangível (ao difícil de medir).
E se estivermos a falar de negócios aquilo que as pessoas procuram/compram são estados emocionais e não produtos/serviços. Logo aqui não entra a razão e o conhecimento, mas sim a confiança e o processo de influência – e arte de os utilizar é uma prática diária baseada na credibilidade e competência (não formal).
Parabéns pelo artigo!

De Cidadão Atento a 17 de Março de 2014 às 15:33
Os estados emocionais que orientam a compra resultam de processos racionais das escolhas anteriores (experiência de compra) estes, por sua vez, baseados na razão e algum conhecimento prévio, pelo menos esse parece-me a configuração razoável de um racional processo de compra.
A definição de métricas de avaliação é um instrumento da normalização difícil de replicar estes modelos para contextos adversos. No limite, porém largamente contestável, seria um processo de avaliação de desempenho à medida customer made ), creio que isso destruiria por completo o percurso da humanidade nomeadamente no campo económico trazido pela mecanização, produção em massa e escala.
Partilho da mesma opinião: a experiência é apenas uma referência, os resultados trazidos pela competência (capitalizada pela experiência) é que sustentam as distinções nas avaliações.
Abraço e obrigado pela sempre valiosa contribuição

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres