8.3.13

 

Para se sagrar vencedor há que ter predisposição para jogar, arriscar, e ter humildade de encarar o jogo na perspetiva de teoria dos jogos, especificamente de soma diferente de zero, onde haverá um vencedor e, como tal, averbar derrota não é em si um fim, talvez um sinal para futuros confrontos.

O âmago de um vencedor é a busca incessante de satisfação, alegria ou felicidade, que advém dos resultados alcançados, que podem não corresponder necessariamente a um triunfo. Jogar é uma arte, destarte saber jogar é sobretudo um gozo, deleito.

Assim, a felicidade do jogador encerra a definição atempada de um quadro de objetivos de desempenho para a disputa, dentro de um limite máximo e mínimo para ter-se uma margem de desempenho aceitável, contando que existe sempre a incerteza em forma de risco iminente e potencial, disposta a enviesar, impactando positiva ou negativamente no desempenho esperado.

Todo vencedor carrega em si uma dose de sorte, se considerarmos que a ação do risco não impediu-o de se consagrar vencedor, sabendo que a probabilidade de ser vencedor é complementada pela probabilidade de não ser vencedor.

Entretanto o mérito de ser vencedor prevalece e atribui-se a si mesmo, quem soube esquivar-se das tentações para poder preparar-se afincadamente afim de experimentar a sensação de subir ao pódio, que diga-se é viciante, preparação essa que exige muita entrega e sacrifício, virtudes que caraterizam um vencedor. O vencedor tem sólida noção de suas capacidades e limites, variáveis bastantes para proceder a monitoria e avaliação do seu desempenho, condição prévia para a auto superação considerando que há sempre espaço para improvisar o seu desempenho e alcançar níveis de desempenho cada vez crescentes, sempre que houver margem de progressão, ambiente para prosperar e um sistema motivacional que inspire a melhoria contínua numa escala de inovação aceitável.

A paciência tudo vence! A paciência é um exercício de sagacidade! Ora, no limite do processo, entenda-se do jogo, quando menos se espera, quando se carrega fé interior, quando se possui autoconfiança, os resultados positivos esperados despontam suavemente a premiar a sabedoria empreendida e em escala desferram agressivamente como que se uns atraíssem os outros, requerendo medidas pontuais de contingência para se desenfrear possíveis euforias que poderiam irritar a progressão.

O processo de progressão e desenvolvimento de carreira, uma função do desempenho passado com impacto na posição e atuação atual, depende mais do próprio indívuo do que dos outros, pois num sistema aberto e imperfeito a competitividade nem sempre favorece os melhores. Possíveis causas que podem explicar tais factos contam-se a escala de avaliação e critério de avaliação, composição e idoneidade dos avaliadores, compromisso com ética e moral, e objetividade do processo.

Finalmente não se pode falar de vencedor sem considerar a composição implícita ou explícita da equipe de que o vencedor faz parte, seja ela real ou virtual, citando uma máxima: em equipe que vence não se mexe - as melhores equipes fazem grandes vencedores. Este vencedor assemelha-se a cereja no topo do bolo, a sua ascensão e projeção foi possível graças a sua afiliação a uma rede tanto quanto vencedora.

 

António Sendi (articulista convidado)


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 10:00  Ver comentários (2) Comentar

Maputo | Moçambique

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Helena Rosa

> Inês Ramos

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Marisa Fernandes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Março 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
16

17
18
20
21
23

24
25
27
28
30

31


Arquivo
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
gostei muito do tema artigo inspirado com sabedori...
Não podia concordar mais. Muito grata pelo comentá...
Dinheiro compra uma cama, mas não o sono...Compra ...
Caro Eurico,O cenário descrito neste artigo enquad...
Grande artigo, que enquadra-se com a nossa realida...
Presenças
Ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: