De psicoedu a 23 de Janeiro de 2009 às 15:58
Olá!

Desde já quero felicitar trazer este tema para aqui.
Pois é um assunto que nos deve preocupar.
Cerca de 50% dos fármacos utilizados em crianças nunca foram testados neste grupo etário, sendo que no subgrupo dos recém-nascidos esta percentagem ascende aos 65%. Segundo a CE, os médicos recorrem com frequência à adaptação das dosagens do adulto para a criança, mas os efeitos secundários desta forma de actuação são frequentes. E para quem tem um recém-nascido em casa isso é uma preocupação na realidade. Cabe a cada um de nós passarmos a mensagem , alertarmos para os perigos do que pode curar, embora, nestas situações, por vezes, nada podem fazer...

De Alexandre Teixeira a 23 de Janeiro de 2009 às 13:23
É de facto muito bom sentir que existem multimilionários por esse mundo fora com consciência social e humanitária que dedicam uma boa parte do seu tempo e dinheiro a questões que visam a melhoria das condições de vida dos nossos congéneres por esse mundo fora. Mais lhes sigam o exemplo, sendo que pode ser cada um de nós a promover essa mudança, mesmo que não seja necessariamente à mesma escala da família Gates