De Susana Cabral a 28 de Fevereiro de 2009 às 23:13
O suicídio , a morte, a doença, o cancro, a diferença, a homossexualidade são assuntos e palavras que evitamos usar. O seu peso negativo tem tamanha força que preferimos muitas vezes utilizar adjectivos que tornem o seu significado "mais leve".
É da mesma forma que nos "escondemos" atrás de ditados populares , de crenças para facilitar o convívio com situações ou possíveis situações que com as quais não sabemos lidar.
Nunca foi uma solução meter a cabeça na areia e fingir que a "debandada" não vem contra nós. A solução é enfrentar as situações, por muito que nos custem, e quando não sabemos o que fazer pedir ajuda é sempre um bom caminho a seguir

De Cidália Carvalho a 30 de Janeiro de 2009 às 14:59
Perante um suicídio, é comum ouvirmos comentários do género:" nunca pensei que ele/ela fosse capaz" ;" é certo que ameaçava mas pensei sempre que não falava a sério"; "dizia-o tantas vezes que já nem ligavamos".

A "verdade tranquilizadora" do ditado popular, não passa disso mesmo, ajudar-nos a digerir a nossa falta de desempenho com aquela pessoa.
E aqui, ainda que pareça, não está implicito nenhum julgamento ou acusação, penso apenas que o medo que referes nos tolhe.
Perante alguém que ameaça suicidar-se, o que devemos fazer? Deveremos incentivar a pessoa a falar do seu suicídio? Desvalorizar os seus desabafos?
No fundo, penso que temos medo de lidar com este tema por não estarmos preparados para o fazer.